Desacelera

Você já percebeu como nosso dia está cada vez mais agitado? Tem o trabalho, inglês, academia, aula disso, especialização daquilo, etc. Chega final de semana, mais compromissos, trabalho de casa, filhos, cachorros, papagaios e periquitos. Agora quero saber, quando é que você desacelera? Quando você respira, pensa na vida, relaxa?

Eu vejo você está cada dia mais ocupado e vivendo cada dia menos. E quando eu falo viver, é viver mesmo, não é farra, gandaia, passar a noite acordado. Viver é fazer o que te agrada, o que te acrescenta, tirar momentos para você, sabe? Refletir, pensar o que está certo e o que está errado, o que precisa ser melhorado, mudado e o que precisa ficar do jeito que está.

Você “corre” o tempo inteiro, não olha para o lado, não aprecia as paisagens, a arquitetura da sua cidade/bairro, não olha para a natureza e muito menos para os seres humanos. Corre e corre com o celular na mão, olhando para o que o outro está fazendo, admirando paisagens e visões alheias.

De que adianta estudar tanto, trabalhar tanto e não viver, não ter história para contar ou algo a ensinar? Momentos para ficar com quem ama, seja um amigo, um familiar ou seu(a) ou parceiro (a)? De que adianta tantos diplomas e uma conta recheada de “golpinhos” (leia-se dinheiro), se não tem com quem dividir?

Que tal começar o ano desacelerando? Isso mesmo, desacelera, desconecta! Ande mais devagar, aprecie todas as paisagens que os seus olhos possam capitar e aquelas que você achar que merecem um registro, o.k., poste nas redes sociais. Ande pelo bairro, olhe para as pessoas, olhe para o céu, olhe para as plantas, entre naquela loja que você sempre passa na porta diariamente e nunca entrou. Não precisa comprar, mas conheça o local em que você vive. Aposto que muitos de vocês nem sabem se tem uma planta ou árvore diferente em seu bairro. Olhe para os prédios, para as casas, para os seres humanos. Não tem nada mais gostoso do que observar, ver a alegria das pessoas e às vezes até o mau humor. Quando vejo uma pessoa muito mau humorada, meu humor melhora na hora, pois não quero que outras pessoas me vejam como eu vejo aquele ser humaninho mau humorado. Engraçado isto, não é mesmo? (Para não dizer estranho!)

Desacelera! Passe mais tempo na natureza, leia mais livros, tire um tempo para não fazer nada, apenas relaxe. Chegou a hora de ter tempo para você e de você se encontrar. Sim, se encontrar, pois vejo que você, assim como várias outras pessoas, está perdido. Você está focado em trabalhar, estudar e muitas vezes nem sabe por que está fazendo isto ou se é isto mesmo que quer fazer. Fazemos porque temos que fazer, mas não analisamos se é isto que realmente queremos, fazemos o que a sociedade impõe. Dorme tarde, acorda cedo e já cansado(a), pois já acorda pensando no que tem que fazer durante o dia e esquece de viver e agradecer por tudo que tem.

Agradecer sim, senhores, senhoras e senhoritas! Seu trabalho pode não ser o que você realmente quer, mas você tem um trabalho. Sua casa pode não ser perfeita, mas você tem um lar. Sua família pode ser chata, mas você tem uma família. Seus amigos, bom seus amigos são seus amigos porque você os escolheu e se tem algum que não está te fazendo bem, afaste. Simples assim. Agradeça por tudo que você tem, pois muita gente daria a vida para ter pelo menos um pouco disso.

Escolha estar com pessoas que te fazem bem, em lugares que te deixam mais leve. Seja positivo, principalmente nos dias mais difíceis, pois é nesses dias que você precisa acreditar que tudo vai dar certo.

Desconecte-se! Desconectar também é bom, faça um detox da vida online e viva um pouco mais o offline. Tire um dia, uma hora, uns minutos para fazer isto. Ou vá dosando. Faça uma coisa de cada vez, não se sobrecarregue!

Desacelera!

Devaneios – O REcomeço!

Recomeçar! Todo início tem um fim, mas o fim também pode ter um começo ou… Recomeço! Revolvi voltar a escrever e ao contrário das pessoas consideradas normais, minha resolução não é de ano novo e sim de fim de ano. Não vou voltar a escrever necessariamente de moda, beleza e maquiagem, vou escrever sobre a vida. O devaneios será agora de devaneios. Causos, contos, “textão”, textinho, frases e pensamentos.

Algumas pessoas devem estar se perguntando o por que de eu não querer mais escrever sobre moda e cia. Eu respondo: Porque eu mudei! Gosto de moda, amo maquiagem (cada dia mais), beleza, etc, mas não é meu foco. Não é isso que quero compartilhar, não é por isso que eu quero ser reconhecida.

Continuo tendo amigas do mundo blogger e as admiro cada dia mais. Acompanho o blog delas e alguns outros (sempre que possível). Adoro ler sobre moda, sobre os novos produtos lançados, mas definitivamente não quero escrever sobre isto. Talvez com o tempo eu mude de ideia, talvez não.

O fato é que quero voltar a escrever, estou aberta a parcerias, marcas que queiram cuidar de mim, mas isso será divulgado em minhas redes sociais e não aqui. Aqui terão muitas palavras para você ler, pensar, se emocionar e compartilhar (assim eu espero)

Eu amo escrever, mas preciso de inspiração e morro de raiva, que as ideias surgem sempre em horário impróprios, quando eu deito para dormir, por exemplo. Vem textos completos em minha cabeça e eu fico preguiça de levantar e escrever. Vou dormir com o celular, notebook, livro, papel e caneta do lado, para sempre ter algo para vocês por aqui.

Às minhas amigas que me incentivaram e me pediram para voltar a escrever, meu muito obrigada. Àqueles que não queriam que eu voltasse e não gostam dos meus textos, sinto muito! Na verdade, não sinto nada! Sinto que tenho um dom e preciso amadurecê-lo. Sinto que posso contribuir com minhas frases, textos e brincadeiras. Sinto que às vezes é bom falar sério e outras vezes é bom brincar, falar besteira. Ter uma conversa de amigos, sabe?

Enfim, estou de volta e vocês vão ter que me aturar. Querem que eu escreva sobre algo específico, ou quer me mandar um caso para eu transformar em um conto ou quer fazer uma parceria? Me manda e-mail: luh@devaneiosdeumacamaleoa.com.

Ah, e não esqueçam de seguir o IG do devaneios @devaneiosdeumacamaleoa e a página no facebook com o mesmo nome.

É isso! Me sigam, comentem, falem, briguem, mas se comuniquem comigo. Também estou aceitando pitacos e conselhos, totalmente aberta à opinião de vocês.

Kissus baby’s e até logo!

Devaneio de Pausa ou Pausa no Devaneios….

Não sei nem como começar a escrever. Esse não é um devaneio normal, mas há um tempo eu tenho pensado no assunto e finalmente me decidi. Eu amo a moda, as tendências, todo tipo de cosmético, mas confesso que há tempos eu ando meio desanimada.

Não sei se fui eu quem mudei, se tudo mudou, ou se esse mundo de fashion que não está mudando. Salvo alguns poucos blogs, não vejo novidade alguma, o que vejo nos blogs, leio nas revistas, que geralmente é o que inspira a blogueira. Mas na maioria das vezes, algumas não se dão ao trabalho nem de dar sua opinião, fazem uma cópia malfeita das matérias e fica por isso mesmo.

drink-coffee-1024x682

Outra coisa que me cansou, “parcerias”. Existe uma panela nesse mundo, que ninguém consegue entender. Algumas blogueiras que são consideradas “TOP”, recebem convites diferenciado das demais e até mesmo brindes diferenciados. Colegas, parceria é parceria, não importa. Muitas vezes a blogueira que não é tão TOP, é muito mais a cara do seu produto, se esforça muito mais para mostrar o ponto de vista dela sobre o evento, marca e produto e você não a valoriza. Sim, isso cansa.

Outra coisa, blogar toma tempo e também precisa de dinheiro. Nem sempre recebemos produtos para testar e para fazer uma boa resenha, precisamos de tempo e equipamentos necessários para fazer o mesmo. No momento, eu não tenho tempo e nem dinheiro para investir.

No fim, acho que minhas prioridades mudaram. Esse lindo mundo fashion, que faz os olhos de nós mulheres, brilhar de maneira diferente, também nos faz mais consumista. Eu sempre tentei deixar isso bem claro aqui. O que é bom pra você, talvez não seja pra mim e não é porque está na moda, que você é obrigado a usar. Não quero ser taxada como chata, mas meus valores hoje são diferentes.

Tenho tanta roupa, coisas que eu mal usei e outras que já usei bastante, mas não me canso de usar, mas no final, não preciso sempre de roupas novas a cada estação e a condição financeira, também não me deixa ter tudo novo sempre. Não quero ter que me desdobrar para ir a eventos e chegar em casa cansada, sem tempo de curtir as pequenas coisas boas da vida.

Enfim, preciso de um tempo. Um tempo para voltar a escrever, fazer meus devaneios e rever meus conceitos. Redescobrir algo que eu AME escrever ou mudar a maneira de escrever. Não sei até quando, mas acho que esse ano não volto. Caso eu escreva algum devaneio nesse meio tempo, postarei aqui, na página e no instagram. Deixo vocês informados (as), ok?

 

Um até breve com carinho.

A Camaleoa

Mais um texto clichê para o dia dos namorados

E no dia dos namorados nada mais clichê do que falar de amor. Eu não concordo muito com esta data por ela ter se tornado totalmente comercial, focada em vendas. O amor não se compra, se conquista.

Não sei quanto a vocês, mas eu prefiro ganhar presente sem uma data obrigatória. Sabe quando você entra em uma loja, seja ela de livros, sapatos ou roupas e vê alguma coisa e se lembra do seu amor? Aí você chega em casa com algo que você comprou simplesmente por ter se lembrado da pessoa amada. Isso é amor.

cliche-do-dia-dos-namorados-presente-criativo

Eu trocaria presentes caros por momentos românticos, surpresas e carinhos. Talvez seja a carência da minha solteirice falando ou talvez no fundo eu seja uma romântica irremediável. Talvez eu esteja solteira por ser romântica demais, porque parece que o que eu procuro não existe.

Toda mulher merece um homem que abra a porta do carro para ele entrar e também para ela sair. Todo homem merece uma massagem depois de um dia exaustivos. Ela pode sair com as amigas e ele pode jogar futebol com seus amigos. Tem que existir o clube do bolinha e da Luluzinha. Mas é obrigatório a saída do casal.

Nada mais gostoso do ser levada para ver o por do sol, assim, sem motivo ou data. Ou ganhar um jantarzinho surpresa. É obrigatório o respeito mútuo e o companheirismo. Também é obrigatório ter noites tórridas de vinho e sexo, assim como é obrigatório ter dias de pura calmaria.

Ela pode ver filmes de ação, mas ele também pode ver comédias românticas. É necessário ter uma conexão e os dois terão que ceder em vários momentos, mas nunca, nunca deixar suas vontades de lado. Costumo brincar que em um relacionamento existe a minha vida, a sua vida e a nossa vida. Tem que existir. Ninguém consegue viver em função do outro, é cansativo e no final acaba dando um ponto final e ninguém quer que isso aconteça.

shutterstock_239485540

O amor tem que ser leve, alimentado diariamente, com muito carinho. É como uma planta, se você não regar, ela morre, no caso, ele, o amor, morre. Morre de desilusão…

Então que seu dia dos namorados tenha menos presentes e mais provas de amor. E para quem tá solteiro, se ame, se curta, se cuide! Por que antes de amar outra pessoa, você tem que apreender a se amar.

Kissus

Luh

Sobre o (des) amor

E eu me pergunto, onde foi para o amor? Eu sei que já devo ter falado por aqui em algum texto desse minha preocupação, falta amor no mundo. Mas hoje eu vim falar do amor homem/mulher mesmo.

Tudo mudou, o mundo evoluiu, mas no final das contas, nada mudou. Há muitos anos, o casamento era um negócio. Pais faziam negócio entre si e arranjavam casamentos para os filhos. O esposo ganhava um dote e as famílias uniam forças e ganhavam mais status. Acho que era mais ou menos assim ou entendi assim nos livros que li e filmes que vi. Aos poucos as coisas foram mudando, a mulher começou a ter voz ativa e até mesmo escolher o futuro marido.

desamor

Passam-se alguns (muitos) anos e a mulher decide que quer ser independente. Além de escolher o futuro marido, agora ela também escolhe E COMPRA suas roupas, trabalha fora e cuida dos filhos. Rasgaram sutiãs, a virgindade deixou de ser tão importante (para alguns(as)) e nós mulheres, conquistamos a tal liberdade.

desamor 2

Com todas essas mudanças, os homens, que eram pais de família e tinham o dever de pagar as contas da casa, ficaram confusos. Agora as mulheres também ajudam nas contas da casa e mais. Elas não dependem dos homens para comprar suas roupas, pagar a conta do bar, do cinema, do salão, enfim… As mulheres não dependem financeiramente do homem, mas isso não quer dizer, que eles não possam pagar a conta do bar ou todas as contas da casa. Confuso isso, não?

E o amor? Ah, o amor começou a ficar de lado. Minha geração é uma geração de mulheres que foram criadas para serem independentes, conquistar o mundo, não depender dos homens PARA NADA. Mas esqueceram de nos contar, ou melhor, não nos ensinaram a lidar com o fato de que sim, nós sempre dependeremos deles de alguma forma. Um relacionamento depende de um outro ser para virar um relacionamento, concordam? E acho que no fim, essa nossa independência virou um tipo de arrogância mania que assusta os homens. Não precisamos dos homens nem para abrir o pote de palmito. Ah que ponto chegamos! Hahaha

Mas não é só isso. Pergunte a uma mulher solteira, qual é o homem ideal para ela. Já ouvi (e vi) muita coisa por aí. O melhor é o que nós mulheres não queremos. Não queremos um príncipe encantando! E o homem dos sonhos não precisa ter um cavalo branco, mas precisa ser lindo, sarado, abrir a porta do carro quando entramos, fazer o jantar e passear com o cachorro. Ele precisa ser paciente, entender nossa TPM, aceitar essa nossa mania de sermos ‘perfeitas’ e aceitarem o fato de que mesmo sabendo que achamos não precisamos deles, no final queremos que eles façam tudo que não queremos que façam por nós. Queremos ser paparicadas, mas sem dar o braço a torcer.

Toda vez que encontro com uma amiga que tinha começado um relacionamento e já terminou, sempre tem a pergunta: “e porque não deu certo”

20a-miniatura-800x533-79604

* ele era muito novo

* ele era muito menino

* ele era muito velho

* ele não tinha carro

* o emprego dele não era bom o suficiente

* é muito burrinho tadinho

* era baixo demais

* era alto demais

* não estamos na mesma sintonia

* ele está cheio de problemas e eu também, achamos melhor resolver nossa vida primeiro.

* ele não era tudo que eu achava que era.

* não era inteligente o suficiente

* ele era grudento demais

* ele era desligado demais

Enfim…. sempre temos uma desculpa, mas no final é tudo desamor! Ninguém quer enfrentar dificuldades, perdoar, entender, compreender e tentar mudar. Ninguém quer abrir mão de nada, mas exigimos do outro tudo! Por isso eu pergunto: aonde foi parar o amor?