e me entristeço…

E Deus criou o Adão… e Eva. E Eva traiu a Adão…. não me lembro como, mas veio a família, que inicialmente eram: PAI, MÃE e filhos… Aí, nos dez mandamentos, Deus disse: “Honrar pai e mãe” e também disse “amar ao próximo como a nós mesmos”, correto? Então vamos lá… até onde? Desde pequena ouço que pai e mãe são sagrados, que devemos amá-los e respeitá-los,  mas e quanto a eles nos respeitarem? Onde ficou escrito isso… ah… lembrei! “Amar ao próximo como a nós mesmos” e quando isso não acontece? O que fazemos? O mundo mudou, em muitos quesitos, pra pior eu acho. O ser humano mudou, a vida mudou. Não queria questionar esse tipo de coisa, mas em dias difíceis como o de hoje, eu me questiono, questiono tudo! Por não concordar, por desacreditar. Sim, nossos pais nos deram a vida, nos colocaram no mundo, mas nem todos os pais nasceram para serem pais. Nem todos os pais criaram seus filhos, ensinaram e fizeram jus a esse mandamento que a princípio é tão bonito. Mas e quando eles não nos respeitam? COMOFAZ? A meu ver (a vida me ensinou isso), temos sim que amar ao próximo, mas como diz o mandamento “como a nós mesmos”, ou seja, nosso amor próprio em primeiro lugar. Isso não quer dizer que temos que viver abaixando a cabeça para nossos pais e que eles estão sempre certos não é mesmo? O que fazer quando isso acontece. Em dias cinzentos como o de hoje, queria ser filha de chocadeira. Me revolto! Invejo quem tem pais de verdade, onde o amor do filho é acima de tudo, de qualquer outra coisa.Invejo as pessoas que tem tanta admiração por seus pais e depois, me sinto mal. Não só por esse sentimento de inveja, mas por ver como sou excluída por coisas, valores tão pequenos pelos meus pais. Não sei mais o que pensar e nem sei mais como agir. Quando se fala de pai e mãe, fico cada vez mais desiludida, mais triste, mais revoltada. Mas passa, eu sei que passa. Sei que sou uma idiota de coração mole, que depois de chorar litros, por horas sem fim, deixo passar… tento ser uma boa filha de novo… mas enquanto não passa sofro… relembro… repenso… e continuo sem saber no que acreditar, no que vale a pena. Será que um dia, isso tudo vai passar de verdade? Passar, pra nunca mais voltar, pra eu nunca mais sentir isso?? Espero que sim, porque estou cansada desses sentimentos ruins  já…

Bjus

Luh

devaneios sobre o amor….

Li uma frase outro dia, que mexeu comigo: “Amar exige coragem e hoje somos todos covardes”. Sim, eu concordo, somos todos covardes! Hoje em dia o “amor” virou uma coisa tão supérfula, banal, que desacreditamos nele. Perdemos a coragem, coragem de lutar pelo que queremos, ou melhor, por quem queremos. O mais engraçado é que na maioria da vezes, o que queremos está bem debaixo do nosso nariz e não vemos, pois a grama do vizinho é sempre mais verde, não é mesmo? Alguns tem a família perfeita… um marido(mulher) companheiro(a), amigo(a)… amante… filhos.. lindos… Todos a sua volta olham e pensam: “É isso que eu quero pra mim!”. Enquanto você, que tem isso tudo não se vê feliz, não consegue enxergar quão linda é sua familia e seu relacionamento. Não valoriza o(a) companheiro (a) que está do seu lado.



Já tem outras pessoas, que tem o amor aos seus pés, mas prefere não ver, não assumir,não viver aquilo, pois prefere continuar sofrendo pelo seu passado. O que passou, passou! Como diz Arnaldo Jabor em um dos seus textos “deu certo sim, durante o tempo que tinha que durar”, mas isso não quer dizer que foi errado, que deu errado. Temos que aprender a viver o momento, o presente! Conseguir enxergar toda forma de amor a nossa volta sem medo de ser feliz. Quantas pessoas correram atrás de você, demonstraram todo sentimento que tinham e você, por medo, não por não gostar ou não estar afim, por medo, deixou isso passar? E hoje, quando olha pra trás pensa, eu devia ter tentado! Poderia ter dado certo! Outras vezes, você, por medo de tentar mais uma vez e, mais uma vez dar errado, deixa o amor escapolir por entre os dedos e quando consegue exergar, é tarde demais, passou. Sim, o amor passa, qualquer tipo de sentimento passa! Mas isso não quer dizer que ele nunca existiu, existiu sim, mas durou o que você e talvez seu(a) companheiro (a) deixou durar, mas passou e agora, não tem mais como voltar atrás.


Mas tem também, outras maneiras de demonstrar a nossa covardia. Falta coragem também pra assumir que acabou. É uma coisa que eu tento, arduamente, mas não consigo entender. Vejo muito a minha volta, relacionamentos que já acabaram, mas as pessoas teimam em dizer que não. Alguns por medo de começar tudo de novo, outros por medo de conviverem consigo mesmos, de se conhecerem, medo de ficar sozinhos. Tem também aqueles que simplesmente não querem admitir que acabou. Meus amigos, tudo nessa vida tem início, meio e fim, seja ele o final que for. Não é vergonha nenhuma admitir que acabou. Tem também o sentimento de posse, ao meu ver, o pior de todos. Casais que não se amam mais, algumas das vezes nem se toleram, mas não deixam o outro seguir em frente, por puro egoísmo. Medo de ver outra pessoa fazer feliz quem ele(a) não conseguiu. A que ponto chegamos!


Os relacionamentos não duram mais, e os que duram, quase nunca são verdadeiros. Uma vez me perguntaram se eu acredito no amor.Se ainda tenho esperanças de ter alguém ao meu lado por amor. Sem vergonha nenhuma, eu disse que sim. Sou moderna, “atirada”, faço o que quero e quando quero. Ou quando não quero, não faço. Estou sozinha sim, mas sabe porquê? Sou romântica. Quero um sentimento verdadeiro. Prefiro estar só a viver algo de mentira. Não preciso de um homem que abra a porta do carro pra mim, preciso de um homem que me faça rir… que me traga chocolate sem eu pedir… Não preciso de flores, preciso de simples demonstrações de afeto… Preciso que ele fique do meu lado calado quando eu não quiser falar e que brigue comigo quando eu estiver errada. Nada é perfeito. Eu não sou perfeita, você aí que está me lendo não é perfeito. Minha única exigência é que seja verdadeiro. Quero alguém que não seja covarde a ponto de se esconder, fingir ser o que não é, fazer o que não quer, pelo simples medo de amar…. Sim, sou uma romântica incurável, mas que não perde a esperança de enxergar e ter um amor… Não precisa ser tão lindo quanto nos filmes, só precisa ser verdadeiro.






Beijos






Luh





Dia do Beijo!

Beijo bom é beijo decidido, mesmo que a decisão seja levá-lo devagar ao longe. 

Beijo bom é beijo molhado, em que os beijadores doam tudo o que há para doar na cavidade bucal, sem assepsia, entrega absoluta. 

Beijo bom é beijo sem pressa, que não foi condenado pelos ponteiros do relógio, que se perde em labirintos escuros já que, é bom lembrar, estamos de olhos fechados. 

Beijo bom é beijo que você não consegue interromper nem que quisesse. 

Beijo bom é beijo que não permite que seu pensamento tome forma e voe para outro lugar. 

E, por fim, beijo bom é o beijo que está sendo dado na pessoa por quem você é completamente apaixonada. 

Existe beijo ruim? Existe. Beijo sem alma, beijo educado demais, beijo cheio de cuidados, beijo curto, beijo seco. Mas uma coisa é certa: precisa dois para torná-lo frio ou torná-lo quente. Todo mundo pode beijar bem, basta nossa boca encontrar com quem.

O que eu vou fazer?

Vou acordar feliz!

Se tiver alguém ou não do meu lado na cama …

Sorrir para o sol ou para a chuva, isso vai depender do tempo…

Prometo não deixar o tempo nublado me entristecer…

Vou aproveitar o dia e a noite…

Vou roubar o carro do meu pai e sair sem rumo!!!!

Quando eu tiver o meu, deixo ele fazer o mesmo…

Quero sorrir só de ver outras pessoas sorrirem!

Ajudar um(a) velhinho(a) atravessar a rua, só pra me sentir útil!

Sair com as(os) amigas(os)…
Fazer careta pra fazer uma criança rir na rua…

Escutar música alta e dançar enquanto arrumo a casa…


Me levar pra jantar…

Ter um dia inteiro só pra mim, pra fazer o que eu quiser, inclusive nada…

Sair pra fazer uma caminhada sem hora, sem destino e observar o mundo…

Tirar uma tarde de domingo pra ver filme e/ou minhas séries favoritas…

Ir ao cinema sozinha!

Aprender a meditar…

Chorar de soluçar, pra ver se limpa minha alma, sim, chorar faz bem também!

Tentar guardar minhas verdades pra mim…

Respeitar a loucura alheia, porque também tenho as minhas…

Viajar sozinha…

Comer brigadeiro de colher fofocando com as amigas…
Brincar igual criança…
Ir para um sitio no meio do mato e namorar as estrelas deitada na grama ….
Escrever mais..
Enfim, ser feliz com tudo e todos!
Deixar a felicidade tomar conta de mim!


E vocês? O que vão fazer?

Muah!
Luh

e assim terminou a semana passada…….

Bom, vim dar notícias… boassssssss notícias!!! Vou contar da resto da formatura…. A missa foi linda!!! Minha família foi em peso!!! O Padre conseguiu emocionar a todos, com lindas palavras. Teve uma homenagem para as mães, como a minha não estava presente, homenageei meu pai. Chorei horrores, mas ri muito depois. Já falei que minhas amigas são lindas? Não? Pois é, são. Estavam presentes também, algumas de corpo e outras em pensamento! Me senti querida, amada, acolhida. Pois é, foi assim que me senti.
E sábado, veio o grande dia.A FESTA!! E que festa! Não tenho palavras pra descrever como foi. Em resumo, foi tudo lindo!!! As músicas, as pessoas, o lugar, o clima… tudo lindo! Tiramos fotos, dançamos… e como dançamos! Acho que nunca vi os formandos se divertirem tanto em uma festa! Alegria pura!!!
Agora, é a vez dos agradecimentos…
Agradeço minha família, aos meus dois pais:Tio Zé e meu pai, por estarem presentes na missa e na colação de grau. Às minhas Tias Elvira e Regina, por fazerem o papel de mãe quando preciso. Às minhas primas e primos, por serem além de primos, irmãos. Ao meu irmão lindo, pelo simples fato de existir em minha vida.
As amigas: Rita: pelos anos de amizade, pelo carinho e companheirismo, independente de qualquer coisa. Rozi: obrigada por me mostrar que amizade de verdade não tem distancia e nem tempo que separe. Willi: pelos encontros e desencontros, pelas confusões e pelas uniões, por tudo que vivemos e ainda vamos viver. Edna: por acaso ficamos amigas, mas não foi por acaso que continuamos amigas Obrigada por existir! Roberta: a prova viva de que uma amizade de verdade pode ser construída num “boteco”… em uma viagem por acaso juntas… Alinne: obrigada pelas palavras sempre tão carinhosas, pela força ( mesmo que on line), pelas longas conversas… Ray e Naty: lindezas, irmãzinhas mais novas, jóias de amizade que fiz durante a faculdade. Diogo e Dudu: amigos, irmãos, conselheiros.. ouvintes e falantes… companheiros de trabalhos, colas, conversas, desabafos e acima de tudo: obrigado por suportarem minha TPM durante a faculdade… ainda agüentam, mas agora é mais ameno (rs). Gi, que com pouco pouco tempo de amizade se mostrou ser especial.  Tiago amigo a 10 anos, que me ajudou em vários momentos difíceis, que tivemos váaarios problemas, mas sempre acabamos achando a solução. Dê, que mesmo de longe, muito longe está sempre comigo. Sempre me ouvindo, sempre me aconselhando e quando conseguimos estar perto, tudo fica bem. Irmã que a vida me deixou escolher e ainda me deu mais uma mãe e um irmão =D Pacote completo Crazy Dog!Marcelo, por ter aparecido em minha vida. Por ter me dado apoio quando eu precisei, mesmo sem saber. Por ter cuidado de mim e por depois de tudo que passamos, ainda continuarmos amigos. Lilian, anos de amizade, obrigada por entender minha ausência e por continuar minha amiga…
Enfim, tem muito mais…. mas se eu for ficar aqui escrevendo, vocês vão cansar… aqueles que eu não mencionei aqui, não pensam que esqueci de vocês, apenas não tive palavras pra agradecer a todos, ia ficar chato e repetitivo…. mas AMO TODOS VOCÊS INCONDICIONALMENTE.
Finalizo com o um brinde, um brinde pela minha família, que parece com a música “muito unida e muito ouriçada, briga por qualquer razão, mas acaba pedindo perdão”. E um brinde também as amizades! Pois eu não sei o que seria de mim, se não fossem meus (as) amigos (as).
Bjux
Luh