Tendência que não usarei: pochete

Pode ser prática, guardar o essencial como celular, dinheiro e chave, mas pra mim a pochete é só pra malhar e olha lá. Mas, contrariando tudo que euzinha acho, as pochetes apareceram com modelos variados nas passarelas do inverno 2015.

Usadas em vestido, jeans e macacões, foram vistas como um acessório fashion na produção. A dica para não parecer um acessório esportista é investir em pochetes estampadas, com tachas, cores “fora do padrão” e texturas diferentes.

Nas passarelas, marcas famosas trouxeram pochetes estilosas (mas para mim continuam barangas) com modelos diferentes, alguns até ‘fofinhos’, como a da Chanel que mostrarei abaixo. Grandes, médias, pequenas, duplas, com estampa animal print e outras com o mesmo tecido usado no look. Já tem até algumas famosas usando também.

Vamos começar vendo o que apareceu nas passarelas:

Se eu fosse usar um pachete, seria esta da Rag & Bone. Pequena, delicada, mas acho que não cabe nem o celular.

Se eu fosse usar um pachete, seria esta da Rag & Bone. Pequena, delicada, mas acho que não cabe nem o celular.

O que é isso Jamie Wei Huang? Uma bolsa colada na cintura? Alguém por aqui usaria isso?

O que é isso Jamie Wei Huang? Uma bolsa colada na cintura? Alguém por aqui usaria isso?

Apesar do Material delicado, uma tamanho digamos, justo, continuo não gostando desta moda. Sorry Caslazur. Aliás, achei o look no geral, uma cópia dos anos 70. Ao meu ver faltou originalidade.

Apesar do Material delicado, uma tamanho digamos, justo, continuo não gostando desta moda. Sorry Caslazur. Aliás, achei o look no geral, uma cópia dos anos 70. Ao meu ver faltou originalidade.

Groud Zero tentou modernizar a pochete, mas ainda não conseguiu cair na minha graça. Confesso que gostei da composição do look, mas a pochete estragou tudo.

Groud Zero tentou modernizar a pochete, mas ainda não conseguiu cair na minha graça. Confesso que gostei da composição do look, mas a pochete estragou tudo.

Chanel tentou "fofurizar" e esconder a pochete com o tecido igual ao da roupa. Mas, nem sendo Chanel eu usaria. Triste realidade!

Chanel tentou “fofurizar” e esconder a pochete com o tecido igual ao da roupa. Mas, nem sendo Chanel eu usaria. Triste realidade!

Pochete - inverno 2105 - Alexander Wang

Alexander Wang atingiu seu objetivo. Look boyish, lindo por sinal, e a pochete de couro, apesar do tamanho, masculinizou ainda mais a produção. Talvez seja o material, quebrou a delicadeza da peça.

Olha, confesso, gostei desta produção. Marc Jacobs me faria usar esta pochete, mas ele teria que me dar o look completo, pois eu só usaria com este vestido. Acho que tudo casou: roupa + tecido + material da pochete + cores. Parabéns Marc.

Olha, confesso, gostei desta produção. Marc Jacobs me faria usar esta pochete, mas ele teria que me dar o look completo, pois eu só usaria com este vestido. Acho que tudo casou: roupa + tecido + material da pochete + cores. Parabéns Marc.

Apesar das cores serem agradáveis, tenho uma palavra para definir esta pochete: horrorosa. Ok,  hoje eu já consigo usar estampa de oncinha, mas uma pochete deste tamanho, eu substituiria por uma bolsa descoladérrima. Sorry Coach. Só para não arrasar com a marca, eu usaria o look, mas mudaria o tênis e a pochete.

Apesar das cores serem agradáveis, tenho uma palavra para definir esta pochete: horrorosa. Ok, hoje eu já consigo usar estampa de oncinha, mas uma pochete deste tamanho, eu substituiria por uma bolsa descoladérrima. Sorry Coach. Só para não arrasar com a marca, eu usaria o look, mas mudaria o tênis e a pochete.

Então... O couro marron é bonito, o tamanho seria ideal, mas ainda não me conquistou. Talvez seja porque o look em si não é meu estilo. Mas se você for usar uma pochete, uma das que eu indicaria seria esta.

Então… O couro marron é bonito, o tamanho seria ideal, mas ainda não me conquistou. Talvez seja porque o look em si não é meu estilo. Mas se você for usar uma pochete, uma das que eu indicaria seria esta.

Agora algumas famosas que já aderiram a esta moda. Elas vão de pochete.

Alicia Roundtree

Alicia Roundtree – Parece uma bolsinha amarrada na cintura.

Brianna Romero (no Coachella) - A produção ficou muito bacana, mas também parece uma bolsinha amarrada na cintura. Até que gostei.

Brianna Romero (no Coachella) – A produção ficou muito bacana, mas também parece uma bolsinha amarrada na cintura. Até que gostei.

Donna Karan. Gente, estou ficando desconfiada dessas famosas. Isso é uma bolsa, não é não?

Donna Karan. Gente, estou ficando desconfiada dessas famosas. Isso é uma bolsa, não é não?

Carolina D'Amore com uma verdadeira pochete, toda trabalhada nas tachas e combinando com o resto da produção.

Carolina D’Amore com uma verdadeira pochete, toda trabalhada nas tachas e combinando com o resto da produção.

Bom meninas, como vocês viram, a pochete não conseguiu me conquistar, mas eu respeito quem usa. Confissão: eu tenho uma pochete! Mas calma, uso na academia, para carregar celular e chave. Não me julguem!

E vocês, vão aderir a essa moda? Caso não queiram comprar uma pochete, acho justo copiar as famosas e amarrar uma bolsa na cintura. Se alguém te criticar, mostra a foto das famosas e prova que você é antenada. hahahahha

Oh My Churros

A cara vintage e romântica da Oh My Churros já entrega o conceito do negócio: churros feitos com amor. E melhor, com mobilidade. Criado pelas sócias Tatiana Giacoia, Débora Gontijo e Bruna Amormino, o carrinho representa algo que elas mesmo desejavam, um doce dos sonhos que pudesse ir a qualquer lugar.
No menu, o clássico chega também com versões autorais. Com a assinatura da casa os churros ganham recheios e são montados à escolha do cliente: chocolate, doce de leite, chocolate com cupuaçu ou creme de limão siciliano. Com opções de toppings: chocolate belga – ao leite, em flocos ou meio amargo -, castanha do caju, farofa de paçoca ou….mini suspiro!
No feitio, todo cuidado é pouco. “Prezamos pela alta qualidade dos ingredientes e fazemos uma massa leve. Um dos nossos segredinhos é o uso do óleo de algodão, que além de muito mais saudável tem um ponto de fusão maior se comparado aos outros. Isso faz com que ele aguente altas temperaturas sem perder a qualidade e deixa os churros ainda mais crocantes”, explica Débora Gontijo.
O carrinho não tem ponto de parada específico, por isso a Oh My Churros utiliza suas redes sociais para divulgar a agenda. E quem quiser pode levar a plataforma móvel para o seu evento, a Oh My Churros participa de casamentos, aniversários, eventos empresariais, feirinhas de rua, shows e por aí vai.
oh my churros 1
oh my churros 2
fotos: Mari Guimarães (marigrl)
Contatos:
Oh My Churros
(31) 92918956
Instagram @ohmychurrosbh

 

A CRUA acessórios

Uma das coisas que mais gosto nas redes sociais são as descobertas. Sempre descubro produtos e novas marcas. Outro dia, através da Review, descobri A CRUA, uma marca de acessórios bem diferente, diria inovadora.

A marca tem um conceito bem diferente, que é a resignificação, ou seja, descobrir o potencial latente em materias descartados e transformá-los, criar novas possibilidades. Os produtos também são bem minimalistas e aproveitam bem a matéria-prima com elegância e tiram toda essência do design. E me apaixono mais uma vez pela marca ao escrever….

foto-3-lookbook

Tudo na A CRUA é feito com as mãos. O designer está presente desde a seleção da matéria-prima até o final, no acabemento do produto. Cada peça é revestida de amor, devido ao tempo dedicado à ele.

“MATÉRIA-PRIMA NATURAL,LEVE E RESISTENTE EM CADA FIBRA A MADEIRA TRAZ UMA PARTICULARIDADE QUE COMPÕE UM DESENHO, COR E TEXTURA SINGULARES. AS MADEIRAS UTILIZADAS SÃO PRVENIENTES DE REA SÍDUOS DE MARCENARIAS, EVIATANDO ASSIM O DESPERDÍCIO DE MATERIAIS E O DESCARTE DE RESÍDUOS.”

foto-1-lookbook

Cada peça da marca é única. A escolha do material e o modo artesanal da produção, fazem diferença nessa autoralidade, como fala A CRUA. Adorei essa novidade, por ser sustentável e muito diferente. Já falei e falarei outras vezes aqui: AMO O DIFERENTE. E o fato da exclusividade também é um ponto que me encantou. Vejam alguns produtos:

crua-design-7

crua-design-6

crua design 8

crua-design-4

 

Que fique claro que isto né é um publieditorial. É apenas uma marca que me encantou.

Mais um texto clichê para o dia dos namorados

E no dia dos namorados nada mais clichê do que falar de amor. Eu não concordo muito com esta data por ela ter se tornado totalmente comercial, focada em vendas. O amor não se compra, se conquista.

Não sei quanto a vocês, mas eu prefiro ganhar presente sem uma data obrigatória. Sabe quando você entra em uma loja, seja ela de livros, sapatos ou roupas e vê alguma coisa e se lembra do seu amor? Aí você chega em casa com algo que você comprou simplesmente por ter se lembrado da pessoa amada. Isso é amor.

cliche-do-dia-dos-namorados-presente-criativo

Eu trocaria presentes caros por momentos românticos, surpresas e carinhos. Talvez seja a carência da minha solteirice falando ou talvez no fundo eu seja uma romântica irremediável. Talvez eu esteja solteira por ser romântica demais, porque parece que o que eu procuro não existe.

Toda mulher merece um homem que abra a porta do carro para ele entrar e também para ela sair. Todo homem merece uma massagem depois de um dia exaustivos. Ela pode sair com as amigas e ele pode jogar futebol com seus amigos. Tem que existir o clube do bolinha e da Luluzinha. Mas é obrigatório a saída do casal.

Nada mais gostoso do ser levada para ver o por do sol, assim, sem motivo ou data. Ou ganhar um jantarzinho surpresa. É obrigatório o respeito mútuo e o companheirismo. Também é obrigatório ter noites tórridas de vinho e sexo, assim como é obrigatório ter dias de pura calmaria.

Ela pode ver filmes de ação, mas ele também pode ver comédias românticas. É necessário ter uma conexão e os dois terão que ceder em vários momentos, mas nunca, nunca deixar suas vontades de lado. Costumo brincar que em um relacionamento existe a minha vida, a sua vida e a nossa vida. Tem que existir. Ninguém consegue viver em função do outro, é cansativo e no final acaba dando um ponto final e ninguém quer que isso aconteça.

shutterstock_239485540

O amor tem que ser leve, alimentado diariamente, com muito carinho. É como uma planta, se você não regar, ela morre, no caso, ele, o amor, morre. Morre de desilusão…

Então que seu dia dos namorados tenha menos presentes e mais provas de amor. E para quem tá solteiro, se ame, se curta, se cuide! Por que antes de amar outra pessoa, você tem que apreender a se amar.

Kissus

Luh

História dos Sapatos + Infográfico

Segundo consta, há indícios históricos de que os sapatos existem desde 10000 a.C.. Os primeiros indícios eram de sapatos feitos de couro. Já no Egito Antigo, apenas os nobres usavam sandálias de couro e as sandálias dos faraós tinham enfeites de ouro.Os gregos inovaram, vanguardistas gostavam de usar um modelo diferente em cada pé.

gif_historia_dos_sapatos

Já na idade média, os sapatos, em sua maioria, eram parecidos com as nossas queridas sapatilhas, feitas em couro. Os nobres usavam botas.

Quem padronizou a numeração dos sapatos foi o Rei Eduardo (1272-1307), na Inglaterra e também foi lá a primeira produção ‘em massa’, em 1642. Foram feitos quatro mil pares de sapatos e seiscentos pares de botas, por Thomas Pendleton, a pedido do exército.

Já no século XX, foram inseridos novos tecidos, materiais e técnicas de produção. Surgiram novos segmentos no mundo da moda e esporte, já que os atletas tinham necessidades de produtos com melhor desempenho para as competições. Foi aí que surgiu os tênis, que acabaram sendo usados por todos.

Vejam agora um infográfico, que mostra um pouco da história da moda, falando dos sapatos mais famosos:

Farfetch_a_historia_dos_sapatos-e1433767964974

Imagens: Farfetch