Pensando com meus botões……

Olá! Como foi o carnaval de vocês? Espero que tenha sido bom. Eu estou estranha desde o carnaval. Estranha como? Pensativa, longe e até meio triste. Cheguei a achar que estava de TPM, mas não é, tenho certeza. Devido a alguns acontecimentos antes, pré, durante  e pós carnaval, tenho tentado me encontrar e isso tem feito com que eu pense demais e em tudo.Estou ( sou) chata.. mais, muito mais do que o normal! Tenho visto o quanto é fácil resolver o problema alheio enquanto não conseguimos resolver os nossos. As pessoas opinam sobre nossas vidas com uma certeza tão crédula que quase nos convence de que, o que elas falam e pensam, é o certo a fazer. Só que há um pequeno grande problema nisso: é sua vida, seu problema e seus sentimentos. E outra, as pessoas que ‘resolvem’ nossos problemas são as quem mais tem problemas, ou seja,“faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”.
Outra coisa que vem me incomodando e muito, são as cobranças. Sei que tenho também minha parcela de culpa nessa história. Sempre tento dar ao máximo de mim e quando isso não acontece, as pessoas à volta acham que é o fim do mundo. Todo mundo cobra, mas ‘ninguém’ olha o meu lado, ‘ninguém’ procura saber como estou, se estou bem, se estou precisando de algo ou simplesmente não querem enxergar que não estou bem. Tenho esse direito não tenho? Porque EU tenho que ser forte o tempo todo? Porque EU tenho que estar sempre disposta? Não, não sou a She-ha como costumo brincar, não sou auto-suficiente e sim, apesar da idade ainda preciso de atenção. Tenho minhas carências, meus problemas, meus conflitos internos, meus medo e receios. Talvez nem sempre queira falar deles, mas adoro quando respeitam meu momento.  Se você precisar de mim e eu não te ajudar é porque não estou dando conta nem de mim e ponto!  Muitas das vezes estou me sentindo tão minúscula e incapaz. Não precisa me cobrar nada gente, eu já me cobro o suficiente!
 Não sou perfeita, muito pelo contrário, sou cheia de defeitos e manias. Quem não é? As pessoas cobram a perfeição sem olhar os seus próprios defeitos, julgam sem analisar, falam sem saber. Vivemos em mundo cada vez mais egoísta e EU achava isso errado, hoje tenho uma visão um pouco diferente. Acho que às vezes temos a necessidade de ser egoístas, temos que pensar mais em nós mesmos. Se não fizermos assim, quem fará por nós?
Mais uma pequena coisinha, porque as pessoas confundem bondade com burrice?  Você pode até conseguir me manipular, mas se eu perceber isso.. AI AI AI!!!! Tá bom.. não sou tão má assim, as vezes eu deixo passar, mas se for de alguma maneira que me incomoda, ou algo que eu julgue grave, não funciona. Não gosto de ser manipulada, não gosto de chantagem emocional e to cansada de drama (já tenho demais).
Cada um sofre, pensa, ama e age à sua maneira. Se todos simplesmente respeitassem isso, tudo seria tão mais fácil. Ninguém precisa concordar comigo, pode discordar, falar o que quiser, desde que respeite e saiba ouvir também ….
Ah.. e não, não está acontecendo nada ou talvez esteja acontecendo tudo rs… tenho minhas crises assim mesmo! Do nada! Vai juntando e uma hora eu simplesmente… falo ou escrevo!
Beijos
Luh

Dos Encontros… e Desencontros…

Fernanda estava em uma fase tranqüila, sem namorado, mas de bem com ela mesma. Fazendo as coisas que gostava, com as pessoas que queria, mas tudo muito despretensioso. Numa tarde ensolarada de sábado ela encontrou um rapaz que teve um affaire há anos (muitosss anos), Jorge, esse era o nome dele. Foi coisa de momento para os dois na época, nada sério. Sempre que Jorge via Fernanda, falava algo, sempre demonstrando interesse, mas ela sempre ignorava. Achava que o que tinha acontecido entre os dois foi coisa de ‘criança’, algo sem futuro e que não tinha porque voltar a acontecer. Nessa tarde, ela resolveu não ignorar Jorge, viu ele diferente, maduro e quem sabe até mudado. Fernanda resolveu dar uma chance pra Jorge de novo. Combinaram de sair, e Fernanda se divertiu como há muito não fazia, bom pelo menos na companhia de um homem. A noite foi ótima e no outro dia ela iria viajar e passar uma semana em sua terra natal, então pensou que foi só uma noite divertida e ponto. Nada de fantasiar ou de criar ilusões. Uma noite divertida, com um ex caso, nada mais que isso. Viajou e já na sua cidade, rodeada dos amigos de infância, o telefone toca e era Jorge. Ele, todo fofo, ligou apenas pra saber se ela tinha chegado bem. É, realmente Jorge parecia interessado e talvez ele não quisesse apenas uma noite, mas ela continuou achando que era só isso. No meio da semana seu telefone tocou, mas não era ele, era outro ex, Eduardo, aquele que foi a grande paixão da vida dela e que agora era, até então, amigo. Ela combinou de encontrar com Eduardo, pra conversar. Após três ou quatro anos sem conversarem pessoalmente, sem o olho no olho, Fernanda achava que ia ser estranho. Afinal, depois de tanto tempo e de tantas coisas terem acontecido, os dois se vendo como amigos, mas o que ela tinha a perder? Nada. E ela foi! Mas a noite não ficou só na conversa. Eduardo sempre disse que não tinha esquecido ela, que ela foi e sempre ia ser a mulher da vida dele, mas ela não acreditava em nada do que ele dizia e ele sabia disso. No meio da conversa, dos risos, da pirraças de sempre e até das discussões eles se beijaram. Para Fernanda, o beijo foi bom, mas faltou algo e enquanto ela beijava, ficava pensando o que estava faltando entre os dois, pois sempre que eles estavam juntos, era como se nada faltasse.

 No outro dia, ainda tentando entender tudo que tinha acontecido, ela chegou a conclusão que não faltou foi química, foi sentimento. O beijo era bom, como antes, mas não tinha o fogo daquela paixão avassaladora que ela teve por Eduardo um dia. Ele agora poderia ser um bom amante, mas não era mais seu namorado. Havia muita química e pouco sentimento. Um carinho, mas não aquela coisa que dá frio na barriga, o coração disparar e ter a sensação de ter borboletas no estômago. Algo tinha se perdido entre eles e não era algo fácil de recuperarar. 
E Jorge? Jorge sempre ligando, mandando mensagem, falando que estava com saudades e que era para Fernanda voltar logo e ela, depois de uma semana voltou.

 Jorge não perdeu tempo e ligou para ela, convidando para sair de novo, comer algo. Combinaram o horário, ele foi buscá-la. Ele a levou para conhecer os amigos, apresentou Fernanda como namorada e foi um ótimo dia. Todos os amigos fizeram com que Fernanda se sentisse à vontade, como se já fosse da turma. O dia foi diversão pura e a noite melhor ainda. Depois desse dia cheio de acontecimentos, Fernanda já não sabia o que pensar sobre Jorge. Claro que qualquer mulher no lugar dela, estaria super feliz e ela até estava, mas tinha algo, que ela não sabia o que, que estava errado. Ele sumiu por uns dias, não mandava e nem ligava como na semana anterior. No meio da semana ele mandou uma mensagem de bom dia. Bom, já deu sinal de vida, pensou Fernanda. Ela mandou mensagem, falando que estava com saudades, para não perder contato e ver a reação, tentar saber o que ele queria. Em um dia era namorada e no outro nem uma ligação.O que Jorge queria afinal? Depois de tentar, mandar mensagem e conversar com Jorge, Fernanda viu que não estavam na mesma sintonia. 

Depois dessas duas semanas de encontros e desencontros, Fernanda voltou para sua rotina, sem procurar affaires, ex namorados, ou melhor, sem querer ser ‘achada’ por eles. Ela preferiu continuar vivendo na sua doce solidão, onde ela estava se sentindo mais segura e feliz.A única coisa que Fernanda ficou sem entender, foi o porquê de isso tudo ter acontecido, mas ao menos ela se deu a chance de viver os momentos. 


beijos 

Luh

De volta a realidade!

Bom.. e foi assim… rs… Meu Natal e ano novo foram surpreendentes bom…. family and friends. Devido à ausência da minha falecida Tia, a grande matriarca, estávamos todos com medo de ser um Natal triste e xôxo. Mas todos se esforçaram tanto, que não foi. Foi divertido, aconchegante, FAMÍLIA! Reveillon  fui com meu pai, a namorada dele (a oficial) e amigos pro sítio. Foi light! Cachoeira, churrasco, baralho, risos.. e muitos risos! Entrei de férias de janeiro, inclusive do blog. Acho que estava precisando de um certo isolamento do mundo virtual, fazer coisas que estavam me fazendo falta, sair da rotina. Curti muito! Vi amigos, fui ao cinema, barzinho, clube, minha cidade. 
Ah.. minha cidade! Capítulo a parte.. rs… Fazia um ano que não aparecia lá e acho que não fui em uma época tão certa para mim e meus queridos amigos. O mundo está se separando já notaram? Sério, um tanto de namoro/casamento/rolo acabando e lá, um amigo e uma amiga terminaram namoro, e namoro de muiiiitos anos. Estive com eles, fui paparicada, papariquei, uni, me diverti e voltei feliz. Como diz meu Pai, minha cidade foi onde criei minhas raízes, então todas as minhas sempre idas vão ter um gostinho especial de infância, de adolescência, de lar, de aconchego. A única coisa que me deixou triste foi o fato de eu não ter conseguido ir ver minha mãe. Travei, não consegui e assumo! Mass por outro lado, se eu não me senti preparada foi melhor assim, pelo menos não briguei kkkkkkkkkk. Mas fiquei uma semana com minha mãe de coração, Tia Dulce. Não, não é minha tia, mas cresci na casa da sobrinha dela, que era minha melhor amiga. Fiquei amiga dos filhos dela e sempre nos identificamos, daí ela me adotou. Sempre pude contar com ela, pra tudo! Me aconselha, puxa minha  orelha e me paparica também. Essa semana que passei na casa dela foi tudo pra mim. Fazíamos tudo juntas, depois do almoço arrumávamos a cozinha e deitávamos na cama dela pra ficar conversando. E haja assunto! Me senti em casa, na minha casa. A noite minhas amigas me buscavam e saíamos. Cada dia fazíamos uma coisa diferente. Sempre um(a) escutando a outro(a), rindo, aconselhando e até chorando juntas, mas tudo isso não teve preço pra mim. Enfim, voltei de lá e tive necessidade de ficar só comigo, colocando as idéias no lugar e foi bom também. Agora estou aqui, de volta à realidade! Academia, trabalho e semana que vem faculdade. Se foi só isso as minhas férias? Não, mas os outros assuntos serão para outros posts! E que 2010 seja lindo pra todos nós. 
PS: ainda não consegui começar minhas metas, mas estou me preparando psicologicamente pra tudo.