A verdade Nua e Crua


Hoje assisti ao filme A VERDADE NUA E CRUA, comédia romântica, água com açúcar, mas quem gostou de ELE NÃO ESTÁ TÃO AFIM DE VOCÊ vai gostar deste também. Ultimamente tenho pensado muito sobre o assunto e o filme me inspirou. Homens!!! Relacionamento!! Onde eu errei??? Tenho o dedo podre mesmo ou será que eles quem são podres.
                Vamos entrar no universo masculino! Se nós ficamos e transamos de primeira, somo galinhas, mas se não transamos, somos frescas. Se pagarmos o nosso cinema, a nossa conta, somos metidas a independentes, mas se não, somos interesseiras. Como agradar essas criaturas?
                Outro grande detalhe, já notaram o quanto nos culpamos quando nossos relacionamentos não dão certo? Ficamos pensando onde foi que eu errei, para na próxima vez não fazer igual. Ou nossas amigas falam (temos o péssimo defeito de achar que nossas amigas e mulheres a nossa volta vão saber resolver ou desvendar nossos problemas) que você é muito mandona, que homem não gosta de mulher assim. Tem outra coisa que geralmente as mulheres falam que homem não gosta… ah… que você tem que fingir que eles mandam. Minha gente, que relacionamento é esse que temos que fingir alguma coisa???
                Cheguei à conclusão do seguinte, homens são covardes e medrosos! Meninos que lêem o blog não se assustem, toda regra tem sua exceção, eu só não achei ainda. Não sou rica, nunca fui, porém sempre gostei de pagar minhas contas, meu cinema, sou ‘metida a independente’ como vocês costumam dizer. Mas eu, prefiro pensar que tenho orgulho, amor próprio, o que falta na maioria das mulheres. Não sou aquela namoradinha, toda mulherzinha, que tudo que o namorado fala eu abaixo a cabeça e concordo, pois tenho opinião própria, vida própria. Se eu vou deixar minhas(os) amigas(os) de lado por causa de namorado? Nunca! E também não vou cobrar isso dele. Se ele tem o futebol, a sinuca com os amigos, eu também tenho o barzinho com as amigas, o shopping, o cinema e sempre muito bem acompanhada. Outro ponto, o sexo. Não sou uma mulher fresca, até brinco muito com uma frase: “mulher gosta de dinheiro, gay quem gosta de homem”. Meus amigos e amigas, se isso for verdade eu sou inteiramente gay, pois eu gosto é de HOMEM!!!
                Se ouvirmos o que os homens falam, sou ( e muitas de nós somos) tudo que um homem queria em uma mulher. Somos lindas ( cada uma com sua beleza), pagamos nossas contas e ainda somos gostosas  boa de cama. Mas sabe o que acontecem com os machões quando se deparam com mulheres como nós? Somem, correm milhas! Pois na verdade eles têm medo de mulheres assim, mulheres que sabem muito bem o que querem. Se borram assustam  quando a mulher tem opinião própria e não dependem deles pra nadica ( hoje me dia é nadica mesmo meninos). O que os machões querem na verdade são as ‘menininhas’, as que têm medo de ficarem sozinhas, de enfrentar a vida com a cara e a coragem, as que fingem não ver as merdas coisas ruins que eles fazem com elas. Eles preferem as bonequinhas manipuláveis e soberbas.
                 Depois de pensar muito nisso resolvi que, aquele homem que  gostar de mim, vai ser homem pra gostar do jeitinho que sou e vai até conseguir deixar que ele pague a conta pra mim. Minhas queridas, o nosso maior problema é que tá faltando homem de verdade no mercado, mas ainda acharemos!! Só não deixem de ser verdadeiras,  principalmente com vocês mesmas. Feliz ou infelizmente, essa é a verdade nua e crua.  Não mudem pra agradar a ninguém, só se essa pessoa for você! 


Beijos 

Luh

Doente…. de saudade!!

Essa semana estou doente de saudade. Sabe quando você sente falta de tudo e de todos? Pois é, estou assim. Mês que vem faz um ano que não vou a minha cidade, que não vejo minhas amigas de infância, que não faço farra com elas. E já tem um ano e três meses que não falo com minha mãe. Hoje mais do que nunca isso está me incomodando horrores.. não sei explicar. Queria saber como ela está, ouvir a voz dela, mas ao mesmo tempo um medo enorme dela não me atender quando eu ligar ( já mexi os meus pauzinhos para descobrir o telefone novo dela). Medo de não conseguir falar ou de chorar (mais, porque já chorei horrores hoje). Medo de quando falar, querer falar tudo que está entalado na minha garganta desde a última vez, medo de querer falar tudo que eu sinto e disso piorar mais a situação. 
Vontade enorme de voltar a ser criança, de brincar de roda, pique esconde, pique pega, tomar banho de chuva ( fiz isso outro dia e foi ótimo). Aí essa vontade muda… queria que minha vida apesar de parecer uma novela, fosse uma de verdade. Vocês já prestaram atenção do quanto tudo é fácil nas novelas? Deu vontade, vou pra índia. Pensei, atravessei a cidade. Cansei, fiz compras. Deu saudade do namorado? Vou passar a tarde com ele no motel (porque parece que ninguem trabalha de verdade nas novelas). Até pobre é mais feliz e tem mais facilidade pra tudo nas novelas, quero isso pra mim!!!! A realidade tem me cansado…. e quando se é criança ou se vê novela fica tão mais fácil enxergar tudo colorido…. ou se preferir, tudo cor de rosa. Queria por um dia só não ter que preocupar se meu dinheiro vai dar pra pagar as contas, no trabalho, na faculdade …. não estou reclamando, só exclamando que é muito difícil crescer, ver, viver!!! Uma frase que tenho repetido muito nos últimos dias: Ninguém disse que ia ser fácil e se disse mentiu!!!!!
Hum… saudade das festas da adolescência, quando tudo escondido era mais gostoso, das bebedeiras, dos risos soltos, das lágrimas fáceis, das dores fúteis. Saudade de não pensar nas consequencias, de acreditar nas pessoas, de acreditar no amor, de acreditar na sinceridade… 

Vontade imensa de gritarrr!!!! 
saudade…. muita saudade.. tenho saudade até do que não vivi?!!!!!!!!!
Acho que não sou normal…

só queria dizer que estou doente… doente de saudade!!!
Acho que não sou normal … rss

beijos 

Luh

O que eu não sei

Lina Gino

Você tem vergonha de dizer…
Eu não sei?

Confesso que já tive, um dia.
Assumir a ignorância sobre algum assunto é chato mesmo.
Eu não li todos os clássicos da literatura.
Eu não vi todos os filmes de diretores consagrados.
Eu não entendo a política internacional.
Eu não domino outros idiomas.
Nossa, tem
tanta coisa que eu não sei…

A gente não precisa saber de tudo, mas olha só o que eu aprendi:
Eu aprendi que o importante é ter coragem de dizer:
Eu não sei…
Você pode me explicar?
Assim a gente vai ganhando conhecimento.
Ninguém é tão sábio que não possa aprender novas lições.
Nem tão ignorante que não possa ensinar alguma coisa.

A gente sempre tem algo prá passar adiante.
E o que eu tenho prá compartilhar com as pessoas vem da minha experiência de vida…
Vem do resultado das perguntas que eu fiz…
E não daquilo que eu aprendi na escola.

Não tenha vergonha de dizer…
Eu não sei.
Essa simples frase abre portas, abre mentes, faz a gente ser melhor.
A gente nunca vai saber de tudo, mesmo…
Isso eu aprendi também. 

Dia das Crianças na Blogosfera

O ano passado o Cogumelo Louco começou uma campanha de dia das Crianças e vários blogs fizeram uma postagem coletiva. Então, que tal no próximo dia 12 de outubro lembrarmos um pouco do nosso tempo de criança? Não custa nada lembrar de quantas campainhas você apertou e saiu correndo. De quantas bolas você jogou no quintal da sua vizinha e ela furou. Quantas vezes você caiu de bicicleta até aprender a andar sem as rodinhas? Quantas vezes você começou a sua coleção de Tazos? Onde está o seu brinquedo favorito? Você coleciona cicatrizes? Nostalgia é bom e a gente gosta. Então, no próximo dia 12 de outubro vamos dedicar um (ou mais) de nossos posts para contar algo aprontamos quando criança e que vale a pena lembrar. Pode ser uma história, uma foto, uma piada… o que você quiser.  Se você tem um blog e quer participar envie um email paravanessa@malvadas.org com o link do seu blog e depois ajude a divulgar esse post em seu blog para que mais blogueiros participem. Se você não tem blog e quer participar mande a sua foto para o mesmo e-mail.

Quem já esta participando?

Maldita Inclusão Digital – Palavra Ácida –  Blog Ideias – Pombo Bebo 

Pensamentos de Domingo…..

Acordei hoje com uma vontade imennnnssssaa de ficar na cama. But… tinha almoço de família e prometi à minha tia que iria, como sou uma pessoa de palavra, fui! Tédio foi o nome do almoço… todos mortos, parecia que todos estavam lá por obrigação e eu, assumo, eu estava! Quando surge assunto de relacionamento na mesa ( detalhe, só mulheres à mesa). A prima mais nova disse que o namorado tava de TPM , minha tia fez algum comentário sobre o ‘namorandinho’ dela que eu nem me lembro qual  (ela costuma falar assim dele com a gente, meu namorandinho) e eu, cética disse “ por isso que continuo com meu lema, antes só do que mau acompanhada”.  Aí a Lu, minha prima que acabou de chegar da Suissa e encontrou um amor lá disse: “Eu to muito bem acompanhada”. Antes de começar a destilar o meu veneno, quero deixar uma coisa bem clara, estou citando um exemplo dela, mas na verdade quero falar generalizando, pois é o que mais vejo hoje em dia. Tá, tá amando but, quando fala do ex que ficou aqui, os olhos ainda brilham independente da dor que ele causou nela. Segundo, tentou falar com ele o dia todo e não conseguiu, telefone desligado. Aí ficou quietinha na cama pois a insegurança bateu e é normal. A questão é a seguinte, por que quando não estamos bem, quando o relacionamento não tá bem temos tanta dificuldade em admitir isso? Não estou falando por ela não, falo até por mim. Às vezes encontramos alguém e pensamos:  “Nossa, achei a pessoa, essa é a minha pessoa.” e gritamos para o mundo isso, para que todos ouçam e saibam da felicidade que bateu em nossa porta. Depois de algum tempo, a nossa pessoa começa a mudar e começamos a pensar que não é ‘nossa pessoa’ mais. Que se enganou, que não vai dar certo. Daí, não deu certo, terminou. Porque não é tão fácil gritar pros quatro cantos “ aquele filho da puta (me desculpe a mãe) não é a minha pessoa e terminou, acabou, finish, game over”. Não tínhamos que ter vergonha de falar isso, de falar que tentamos e não deu certo, tínhamos que nos orgulhar sabe porque? Porque fomos mulheres suficientes pra dar um fim em um relacionamento que não estava nos fazendo bem. Não ficamos como muitas pessoas, não só mulheres, homens também, em um relacionamento falido pra não ficarmos sozinhas. Porque nos valorizamos, porque nos amamos acima de qualquer coisa e mais, antes a gente ter amado e o relacionamento não ter dado certo do que, nunca termos arriscado pra ver onde daria e consequentemente, nunca termos amado. Fácil? Não, não é! Mas quem disse seria? E digo mais, eu acredito que não precisamos de ninguém ao nosso lado para estarmos felizes. Ter este alguém tem que ser apenas um complemento da nossa felicidade, ou seja, nada impede que sejamos felizes sem ele!

Felicidades a todos!
Beijos
Luh